domingo, 25 de outubro de 2015

20 de out de 2015

TEXTINHOS

Pensando aqui...

1) Na mesma proporção da antipatia de Mercadante, o acomodamento de JOSE EDUARDO CARDOZO. Depois de ter sido um dos vereadores mais combativos de São Paulo, fez-se Ministro da Justiça,o mais apagado de todos os tempos, cedendo terreno em todos os ataques aloprados do PSDB. Foi necessário que falasse, agisse, negociasse, e mesmo assim e não realizou nada de coisa nenhuma, completando o trabalho de Mercadante, para deixar o governo Dilma exposto às fúrias mais primitivas. Não agiu, não age e nem agirá. Bacharel em Direito, doutorou-se e é professor da PUC. Seu plano de carreira: tornar-se Ministro do STF. Daí que não corra riscos de indisposição com os senhores da Justiça, nem com deputados e senadores, e nem com ninugém. Quer uma indicação tranquila e simpática.

2)Na República Presidencialista brasileira, a Presidência da República comanda a política em seu nível mais alto. O Ministério da Justiça e a Chefia da Casa Civil são os seus dois braços para fazer a política no dia-a-dia, acompanhando o Congresso Nacional, nas suas duas casas, os partidos políticos, os homens importantes do Judiciário. Dilma Rousseff completou sua notável e notória inabilidade política com a atuação antipática, omissa e presunçosa de dois ministros inaceitáveis e que não foram aceitos pelo PT.

3)ALOIZIO MERCADANTE: economista, doutor pela Unicamp. Foi um dos fundadores do PT, possivelmente sem ter nunca antes visitado uma fábrica ou sindicato. Senador no período 2003-2010, quando se tornou famoso como senador que leva pito do Lula e muda de opinião (LUla mandou que ele engolisse Jose Sarney, e ele engoliu imedi
atamente). Ministro da Ciência e Tecnologia, em 2011-1012, quando o cargo passaria, de técnico a político. Em 2012 assumiu o Ministério da Educação, mostrando-se um estranho no ninho, ineficiente. Em 2014 passa a Ministro chefe da Casa Civil, posto eminentemente político, de importância maior. Mostrou total incompetência, sendo um dos responsáveis pelo PT, partido majoritário na Câmara, não ter qualquer participação na condução da Casa, que impôs uma série de derrotas de proporção inédita ao governo. Volta agora ao Ministério da Educação, mantido no ministério por critérios de preferência pessoal da Presidenta, defenestrando um educador, Renato Janine. Sua incompetência política fez dele o único defensor conhecido de Octávio Frias, na sua ação ao lado dos torturadores da ditadura.

4) Lula, numa fala de uma hora, diante de Mujica, diz que antigo presidente tem que aprender a ficar calado, mesmo quando angustiado. Mas terminou, afirmando: "Eu, agora, vou falar, eu, agora, vou viajar, eu, agora, vou dar entrevista. Eu, agora, vou incomodar".
É urgente, Lula. Quando o presidente do PT cobrou mudança de política econômica, a Presidenta mandou que calasse a boca. Fala Lula, faz a moça calar a boca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário