quarta-feira, 23 de novembro de 2016

23\11\16
A VENEZUELA NÃO É AQUI: o petróleo deles é deles, o nosso, é da Shell
O 'Brazil' de Michel Temer quer patrocinar o golpe-de-estado que os Estados Unidos planejam para derrubar o governo democrático da Venezuela. Como primeiro passo, o "chanceler" Serra, com o seu secretário informal,FHC, foram à Montevideo, tentando subornar o governo uruguaio e obtendo seu voto em favor da exclusão daquele País no Mercosul; não foi bem sucedido. Mas não era o desejável? O bolivarismo tão irritante não ameaça e PAX americana, ao mesmo tempo em que submete o povo venezuelano a miséria negra, como nos contam os jornais "brazileiros", batendo e rebatendo notícias sobre as "revoltas populares", que não suportam mais a falta de papel-higiênico.
É verdade: há alguns aspectos que são suavemente omitidos.
1. A Venezuela tem as maiores reservas de petróleo e gás natural do mundo, além de ser classificada consistentemente entre os dez maiores produtores mundiais de petróleo. Além das maiores reservas de petróleo convencional e a segunda maior reserva de gás natural do Hemisfério Ocidental, o país também possui depósitos não convencionais de petróleo (óleo bruto extra-pesado, betume e areias betuminosas) aproximadamente iguais às reservas mundiais de petróleo convencional. 
2. Em 1908 Juan Vicente Gómez tomou o poder e fez-se ditador durante os vinte e sete anos seguintes. Foi durante o seu governo, em 1922, que se iniciou a exploração das jazidas de petróleo da Venezuela. Em 1945, após a queda da ditadura do general Isaías Medina Angarita, Rómulo Betancourt tornou-se presidente provisório até as eleições livres de finais de 1947 que levaram o escritor Rómulo Gallegos à presidência. Uma revolta militar retirou-o do poder; em 1953 instalou-se a ditadura de Pérez Jiménez, que só deixou o poder em 1958. A descoberta do petróleo tornou a democracia incompatível com a Democracia, permitindo que se sucedessem os golpes de Estado patrocinados pela CIA e pelo governo dos EUA.
3. Em 1973, a Venezuela votou a nacionalização de sua indústria petrolífera, a Petróleos de Venezuela (PDVSA) assumido e presidindo uma série de empresas subsidiárias; nos anos seguintes, o país construiu um vasto sistema de refino e comercialização na Europa e nos Estados Unidos. Na década de 1990, entretanto, a PDVSA deixou de ser uma empresa do Estado, fazendo possível a participação de investimentos estrangeiros. Em 2001, Hugo Chaves fixou limites para essa participação. O que é hoje a PDVSA? A Petróleos de Venezuela (PDVSA) é uma empresa estatal venezuelana que se dedica a exploração, produção, refino, comercialização e transporte de petróleo da Venezuela. Fundada em 1 de janeiro de 1976, a PDVSA é a terceira maior empresa da América Latina, depois da brasileira Petrobras e a mexicana Pemex. Atualmente a PDVSA é a petrolífera com maiores reservas de petróleo do mundo, alcançando um total de 3,1 bilhões de barris e foi catalogada como a segunda petrolífera mais poderosa depois da ExxonMobil.
4. Ao nacionalizar a PDVSA, Hugo Chaves tornou-se jurado de morte do Departamento de Estado dos EUA e inimigo das famílias que compõem a elite no País. Em 1998 começava a "Revolução Bolivariana", como resultado escrevendo-se a nova Constituição da Venezuela. Deposto por um golpe de Estado em 2002, voltou em dois dias ao poder, reconduzido pelo povo. Chávez sobreviveu a vários testes políticos adicionais, tentativas de promoção de golpes patrocinadas pelas petroleiras, com apoio dos governos "democráticos" norte-americanos, incluindo um referendo revogatório em agosto de 2004. Foi eleito para um novo mandato em dezembro de 2006 e reeleito para um terceiro mandato em outubro de 2012. Maduro é o presidente, desde a morte de Chaves, eleito constitucionalmente. 
5. Ao serem comovidos com as "desgraças" que o bolivarismo impõe aos venezuelanos, nós, os "brazileiros", permitimo-nos o papel de otários, idiotizados pela imprensa posta a serviço da "máfia do petróleo". Vejamos um pouco sobre a miséria desse povo-irmão:
a) A mortalidade infantil na Venezuela está em 16 mortes a cada 
1000 nascimentos, muito mais baixo do que a média da América do Sul. Má nutrição de crianças atinge 17%, com Delta Amacuro e Amazonas tendo os piores índices.
b) De acordo com as Nações Unidas, 32% dos venezuelanos não possuem saneamento adequado, principalmente aqueles vivendo em áreas rurais. Já no nosso Brazilzão, só o Rio Grande do Sul bate a Venezuela, com 12,7 mortes por 1000 habitantes; em Pernambuco: 35,7. De acordo com o Instituto Brasil, o país ocupa a 11ª posição entre 17 países analisados pela Comissão Econômica para a América Latina (Cepal), estando atrás da Bolívia, Peru, Uruguai, Equador, Venezuela, Chile, México, Argentina, Colômbia e Costa Rica. Metade da população brasileira não conta com coleta de esgoto e apenas um quarto dela vive em localidades com tratamento dos dejetos, enquanto 35% dos brasileiros desconhecem o que seja água tratada.
Enquanto as nossas classes médias engolem e digerem as mensagens IMpostas pela Globo, Estadão, Veja e similares, nossa Esquerda proclama que o PETRÓLEO É NOSSO. 
Nosso?De quem? Depois de sofrermos várias decepções...
A "glória" de entrega da Petrobrás vai para ... Jose Serra.
Então...Viva, Nicolás Maduro Moros!!! Hoje é seu aniversário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário